domingo, 27 de julho de 2008

. Sonhando contigo outra vez.





Estás tão longe. Minha vontade cresce a cada instante; tirar cada peça de roupa como um peso meu. Tirar as suas mágoas, junto das meias, pés, pernas. Senti-la vibrar a cada movimento nosso, a cada cochicho meu. Bebendo-te com vinho, devorando-te com maçãs, ardendo-te com o fogo que sai das velas do jantar. Como nós, existem poucos, que amam seres humanos, independente do seu sexo, cor, nome, fala. Juntando-se a mim, nada mais importa. Somente teus lábios carnudos, cheios de vícios, tuas coxas fartas de vida, suas costas largas de arrepios. Entrelaça as pernas no meu corpo, como cordas feitas de desejo, morda-me o pescoço com vontade, segura-me com força, pra ter a certeza de que estou viva. Tua respiração ofegante excita-me ainda mais, gemidos tímidos, os lençóis cobrem minhas dores do passado, vidas se tornam uma só num momento como esse. Minhas mãos percorrem teu corpo num desejo exuberante, tua voz pedindo-me pra ficar, mas a manhã me aguarda. Acordo sozinha em minhas paredes caladas. Sonhando contigo outra vez.

Um comentário:

'- Glauco disse...

ui. tenho sempre muitos sonhos com a Ana *----------*