sexta-feira, 26 de setembro de 2008

tempo,

...Passa correndo entre nossas pernas. palavras voam, as vezes sem planejamento algum. como podem cometer essa insanidade ? o tempo pode ter sua pressa, mas você corre tanto assim ? mais do que ele próprio ? corre mesmo esse risco de deixar escapar as piores combinações.sílabas que contagiam nossas bocas, pipocando, feito pulgas em cachorro de rua.erros tão banais, feridas causadas por descuido. me sento sem rumo, com a esperança de que todos se esqueçam de meus erros, que todos adormeçam, e acordem de caras lavadas e coradas, dispostas a qualquer frase minha. o padrão foi eleito, as bocas, os seios, os olhos, as coxas. mas isso é questão de tempo. questão ao tempo.não se preocupe. tudo passa, a vida passa, meus versos passam. acalme-se. chegará nossa hora. é tudo uma questão de tempo...

Nenhum comentário: