sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Saio pelas ruas esquecidas com cheiro de passado, a procura de respostas.
Problemas que me invadem os pelos, ao som de vozes em ré menor.
Tuas reclamações em mi bemol. Sua canção desafinado, em dois tons abaixo, quase;
Nem quero mais notar suas palavras mal escolhidas , seus sons, seus floreados. Não quero mais partituras !
Quero fazer minha própria melodia, onde nada nem ninguém me diz se é vulgar ou não.
Meu violão agora, só toca palavras., meus punhos recusam-se a se abrir.
♪" um bom chá pra curar essa azia... "♪
O céu me abraça lentamente; consolo de amigo.
Esperava mais de você...Esperava que fosse menos hipócrita, menos capitalista. pensei que não tivesse medo. Tu temes o quê ? Da mais pura realidade, me parece;
Me machuca com o que mais me faz crescer.

Nenhum comentário: