quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

na minha mão;

senti seu calor
ao se entregar,
algo estranho, mas bom,
não posso negar.

e enquanto tecia seu ventre
vivia sempre a cantar.
um sentimento que a rodeava
todo minuto, sem pausar.

foi na minha mão,
que ela entregou correndo
o seu coração

me dizia, então,
com seu olhar que morrendo
que jamais diria não.
por bruna moraes e karla karoline, dia 14 de janeiro de 2OO9,
as 13:34

Um comentário:

karla disse...

as palavras vem e vão cabe a nós saber usa-las no momento certo e da forma adquada adorei escrever com vc meu anjo...