sexta-feira, 22 de maio de 2009

Tiago.

Compartilho os pequenos momentos na superície da minha vida, simples, direto e inteiro.
É como se o passado fosse nosso; e há muito tempo. Como de costume eu vi o que deveria ser visto.
A quantidade não é nada... claro que é algo em muita coisa. mas neste caso, não.
O tempo é folha de outono. As orações são Quintas no decorrer das palavras, as verdades que contei e que ouvi com toda a sinceridade... são esses pontos e vírgulas que me mantém viva. Você foi único ao dizer.
Ouvir suas sílabas vibrarem no timbre grave e as horas nos dedos dos pés, correndo feito vento. Devorar os detalhes, as conversar e as risadas. Sentir falta do que nem chegou ainda.
Dividir a saudade anônima contigo, num lago de canções antigas e frase usadas. São esses seres que deveriam nascer em todos os cantos, em todas as arestas do mundo, como se fosse flor. Nascer em você...
Pretendo morar em ti, mesmo que seja hoje, ou amanhã. Mesmo que seja curto, quero que seja longo.
Você é bicho que se preze.

Nenhum comentário: