quarta-feira, 24 de junho de 2009

solida,.

solidão. substantivo comum, feminino, singular.
deveria ser aumentativo... a minha é.
a solida, para os cegos e a solidão para os lúcidos como eu.
e continuar chorando sem nenhum motivo, continuar sentindo saudade de alguém que eu nem sei o nome.
continuar iniciando as frase com letra minúscula, e errando a ortografia.
tocar nos meus dedos frios com toda a melancolia possível...
minha roupa preta, meus olhos nus e minha boca inquieta, falando com o nada, falando com todos.
aquela velha estória de estar cercada por seres e se sentir vazia, sozinha.
na voz dos cantores e no timbre do violão. me escondo, mergulho.
e aqui, nesse bosque de pedra eu vejo o céu, vejo o mar, estrelas, sols e luas.
faço a minha felicidade nestes tão poucos.
me entrego a esse frio que leva de leve;
no cigarro aceso no cinzeiro, morrendo feito gente, queimando de ódio e prazer.
e eu me embriago de tristeza, canto por morrer.
paraliso aqui, olhando essas letras infinitas e esses versos mal feitos.
não me preocupo com o nexo. a verdade nem sempre faz sentido.
preocupes-se você. leia a mim, sem neblina nem chuva.
apenas isso, bem claro...
rego meu jardim todos os dias.
cultivo versos.

Nenhum comentário: