quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Entrevero

O entrevero começou
Quando você disse o que quis
E tropeçou nos hífens,
Pontos e apóstrofes
Do seu vocabulário
Inconseqüente,
Impune, só.

Não há hipóteses concretas
Do teu rosto
Perturbante, exuberante.
E entre patas de elefante
Só se ouve o passo tímido
Do teu coração só.

Só trazer o belo
Do teu ser
Que dorme triste
Nos colchões e
Lenços sujos de conter
Seu puro ser.
Corre, já é hora.
De nascer.


Melodia e harmonia: Ítalo Lencker

Letra: Bruna Moraes

2 comentários:

Amanda Cecilia disse...

Se aos 14 escreve assim...aos 24 estará como hem? continue...não pare...vc é estrela e estrela é pra explodir, deixar o brilho no céu da boca das pessoas...
Um abraço Bruna!

Bruna_Caroline disse...

Nossa Bru Muito lindo ameii ;D