terça-feira, 22 de dezembro de 2009

bar, laranja, frango, poema, retrato.

o fim do fim
chegou ao fim.
fecharam-se as portas
de mim.
um fim pra todos os fins
que estavam estampados
às ruas.
e olhar seus olhos
pra nunca mais
olhar.
apenas vê-los.
pretendo ver apenas seu corpo
como carne de alma escondida
fechou as janelas
da camisa,
pra nunca mais abrir.

Nenhum comentário: