sábado, 8 de maio de 2010

Baião de Flor

Nas pernas maciças de flor
Perdem-se os homens de dor
As almas que correm pro mar
Choram ao ver seu penar

Seu corpo lacrado no altar
E um véu que, de certo, sumiu
Voltara pro cais, esperar
Morre com sal e a maré

Florece a dor no altar
Espera a volta do mar
Mora entre o cais e o altar
Só se vê no calar
Os seus olhos de mar

Espera a volta voltar
Só se vê se penar
Vai chorando
Outro mar

Ítalo Lencker e Bruna Moraes

Nenhum comentário: