domingo, 4 de julho de 2010

"ele é o veneno que eu escolhi para morrer sem sentir..."

como me fascina
esse calor que vem de tuas
extremidades
brancas
finas
teus riscos, tuas escrituras
tuas caixas
sugar-te
e ver do que sai
o teu corpo
a nuvem branca
que foge de ti
e te repousar
no vão
te segurar entre os dedos
ah
és meu vício
vadio
enlouquecedor
o fogo corrói
ao beijar-te
não aguento-me um dia
nem um
preciso abandonar-te
minha fala não é a mesma
meus pulmoes não agem
quando sinto-te
preciso matar-te
meu grande amor
meu amado
CIGARRO

2 comentários:

Martha A. disse...

eita, jurava que voce tava falando de outra pessoa...

- Suburbano Coração disse...

Jurava-te ainda uma outra "cousa".............rs, saudade!