sábado, 10 de julho de 2010

josoé

e lá vai o velho
no corredor dos vivos
da morte
correndo, nas rodas
com moças de branco
chorando sangue de dentro
cadê o moço?
aquele quase velho
aquele que foi-se
pra cidade mais longe
deixou o velho pra lá?
o velho que namora
a grana
a cama
o sacana que guardas
não vale a pena

guardou rancor
e agora sangra
sangra
comendo a desgraça
que deixou
na casa da velha
bonita
caída na mágoa
o velho que procura filho
depois da cria
o velho cru
magrelo
deixou o patuá
pra lá
foi ver a verde
conta
deixou o preto velho
foi ver o grande automóvel
que mais para.

coitado do velho
comendo o pão
que tanto o diabo amassou
pra justo ele
tão sábio
tão claro
tão tolo
comer feliz
coitado do velho
vendo a morte
roçar as pernas
lamber os lábio
tá lá, meu velho
tá lá em baixo da cama
ao pé do seu.

2 comentários:

Anônimo disse...

a morte roçando nas pernas... ui ui ui. adorei essa.

Anderson L. disse...

Essa Bruna... Esse Josoé... Não sei qual dos dois me impressionam mais!