quinta-feira, 26 de agosto de 2010

gerundio

é fora de hora sempre
dentro de voce.
fora de dentro,
embarcarei.
a morte conhece a
mim. eu preciso
calar-me.
"estar a sua mão quando você vier"
você que parece mar
e madrugada
e ilha grande
       comprida
serra negra
rio claro
eu preciso,
não nego.
agora é tempo de serenar e recolher
eu quero voltar à casa de
minh'alma.

Um comentário:

BrunaCardoso disse...

Ameii toca muito fundo na alma serio amooo você menina muitoo mesmo você sabe disso.