sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

liberdade (?)

é caminho desconhecido, que sempre me deu medo entrar. guardas, monstros, escuro demais.

tô no caminho de volta ainda.
mas também não sei se já cheguei, se ainda não quero ver-me.
não sei o que sinto por ti... ainda não perguntei-me;
vejo que não pode esperar-me, mas também não precisa.
faça o que precisar fazer; eu ainda não sei andar, com minhas pernas novas, não sei o que fazer, agora ,livre.
triste estou por não viver-te, por ser assim, tola;
eu quase não vejo, quase não me tenho... mas logo terei.
mas se precisas ir, vá.
ando cega, muda, surda...
se precisas deixar-me, então deixe.

Nenhum comentário: