terça-feira, 10 de maio de 2011

OUÇA-ME!

Pra que tão impossível?
Por que tão impossível?
A impossibilidade mata.
A destruição não constrói.
O pavor não ilumina.
A dança da solidão não adianta...
Fugir não conserta.
O choro alivia sim!
Ensurdecer?
A loucura é necessária mas o descontrole só piora a alma.
A desordem toma conta de nós, assim...
A paz se encontra dentro de si, disso você sabe. O silêncio e a solidão também.
A culpa não prevalece.
Faça o que tu queres pois é tudo da lei!
A corrida tem muitas voltas, os homens tem muito o que construir, as folhas hão de cair.
A poesia há de reinar, tua serenidade é tua, de qualquer jeito. Faça-a aparecer...
Eu já não sei se há volta.
Mas eu sei que há ida.
Eu te amo.

Um comentário:

Rodrigo L. disse...

Gostei dessa letra, tem um toma mais confessional, mais pessoal. Muito legal. Até +