domingo, 14 de agosto de 2011

o sentimento marítimo

Eu jamais saberia explicar
O que acontece dentro do chão de minh'alma
Que segura tanto amor.
O seres e as coisas, as cores...
tudo me causa amor profundo.
E meu corpo responde com sensações inexplicáveis.
E quase sempre me entristece pela impossibilidade
e pela distância
pelo desejo profundo
platônico
por quase tudo...
Qual seria a razão? A inspiração não me desgruda
e em meu peito jorra poesia
como na vazante.
E ai, o que será de mim, depois que passar a correnteza
e o som não estiver concretizado?
A poesia incerta... a beleza?
eu já nem sei mais o que é belo, pra poder dizer se há beleza em minhas escrituras.
E o seres?
ah, meu Deus, o que será?
Há tanta força, nos cheiros, nos atos, nas cores...
Já não sei se é belo... mas o sinto assim.
Eu quero expor meu amor.
Usando palavras infinitas.

Um comentário:

gutipoetry disse...

Quem poderia explicar o mar
a sua calmaria ou a sua tempestade
quem poderia explicar o amor
os seus desejos e as suas impossibilidades
quem poderia deter a corrente que nos arrasta aos mais profundos sentimentos...quem poderia senão o barco a que nos submetemos embarcar mesmo sem remos