segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Na Noite

- Quando ele vem 
com os olhos cheios de graça?
Com a boca escancarada de riso,
faceiro? 
Quando ele virá?
Pra tocar as cantigas
ninar minhas birras,
meus altos e baixos?

- Ele vem depois do sono,
de manhã, bem tarde.

Um comentário:

Rodrigo L. disse...

Outro poema sensacional. Você é muito sensível.