sexta-feira, 26 de julho de 2013

Nasce No Inverno Da Vida

há tanto tempo que a poesia não me tocava a alma...
e, nessa noite, caminhei pelos corredores de tuas palavras, pra procurar-me em ti.
procurar-te entre as sílabas... ver tua claridade.
algo teu, veio acalentar-me, como um sopro nos ouvidos.
um beijo na nuca.
um arrepio no peito.
pensei em tê-lo.
sentir de perto sua grandeza. sua profundidade.
ouvir suas ondas.


olha-me, homem.
diga-me, com todas as tuas cores
mostra-me mais fundo, tuas formas
pois posso ver a silhueta de um ser altíssimo.

nunca vi, com meus olhos de dentro, algo como tua palavra
tua força 
teu semblante
tua casa da alma. 


és praia sem fim...

preciso caminhar-te, até à margem. sentir a maré.

venha-me, pra vermo-nos.