quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A Fera

Nos meus olhos, ele quis entregar as antigas paixões
E tal ato compara-se à quase-morte,
ou a sorte de reviver.

A luz entrou pela janela,
e a fera, domada, me deu um beijo
de amor.
Todo entregue...
Ah! O amor!

Depois do delírio
ele se cala.
Fecha as janelas,
me cobre de espanto.

É do medo que ele tem medo.

Nenhum comentário: