quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Atiça

Quis escrever poema
assim:
no meio da noite,
como um rango às pressas,
pra voltar ao cobertor.

A inspiração me pinica
cutuca; 
corro ao caderno, prum alívio.

Aí, ela morde o lábio,
sorri e dorme em meu colo,
satisfeita.

Êita, poesia ninfeta!

Nenhum comentário: