domingo, 27 de outubro de 2013

longínqua carícia

os seus póros-pontos
cravaram um desenho lógico
lírico em minh'alma.

teu cheiro na lembrança
me pegou pelo braço.
um gosto, na visão dos teus lábios

olha e revira-me a vontade
do teu corpo.

teu som na moldura
e teu ser, um quadro.
a rasura da mais pura
e profunda beleza.

ah! que desejo
que aquece a espinha
vibra as mãos e os olhos.

venha abrigar-se em mim...
te tenho todo amor de
todos os mares.

venha cedo, pra ficarmos tarde
morrer a noite
renascer notívagos

é amor boêmio
platonicamente poético

Nenhum comentário: