segunda-feira, 18 de maio de 2015

Gestação

Tantos dias distante, minha amada.
Estive melancólica e dolorida
de saudade demais.

Creio eu que nascerá, em breve, este filho nosso.
E te esperarei no dia do parto.
Não fujas ao mar, minha amada.

Já não posso mais suportar tua ausência.
Já não há mais beleza nas coisas
nem luz nem forma.

Apareça, pela janela ou
pela porta de trás.
Traga-me um presente.

Nenhum comentário: