quarta-feira, 16 de março de 2016

O Atirador de Facas

A faca quase me cega
quase me corta
me mata.

Eu fui donzela, no circo.
Fui pregante do destino.
E vi que a vida vale o arremesso
e nada disso é 
papo sério.

A vida foi graça
em quase desgraça.
E eu fui o espetáculo.

Agora eu me vejo sã,
salva pelas mãos 
que eu não tenho.

A vida é um picadeiro
e eu sou o riso vital
do palhaço-futuro.

Nenhum comentário: